ENTREVISTA COM A FÃ MOLLY RENNICK

By  |  Comments

10377090_1454698941444883_6185974131853368619_n Para quem não lembra, Molly Rennick é uma fã canadense, que foi ao Meet&Great da Avril Lavigne, caracterizada de Avril.

Molly foi ao Meet&Great no Canadá, e na época ficamos curiosos para saber como foi o meet por la, se teve alguma diferença depois da polêmica aqui no Brasil, então fizemos uma pequena entrevista com Molly para saber como foi.

Você pode conferir a entrevista logo abaixo:

ALBR: Oi Molly! Nos conte um pouco sobre você. De onde você é?
MOLLY: Eu sou de uma pequena cidade em Ontário, no Canadá. É a uma hora de distância de Napanee, a cidade de Avril.

ALBR: Quantos anos você tem?
MOLLY: Tenho quinze.

ALBR: O que você faz? Você estuda? Faz faculdade?
MOLLY: Eu estou no ensino médio. Eu quero estudar Música na faculdade, em Los Angeles.

ALBR: Sobre Avril Lavigne, quando você se tornou fã?
MOLLY: Eu tinha três anos quando “Complicated” foi lançada e eu me lembro de ver o vídeo na MTV, frequentemente, e no fim, acabei gostando e aprendendo a cantar.

ALBR: O que você mais gosta em Avril?
MOLLY: Eu gosto da individualidade dela. Ela não está nem aí se as pessoas a julgam e encoraja seus fãs a fazerem o mesmo. Ela está sempre falando sobre ser você mesmo e eu respeito muito isso.

ALBR: Qual é seu álbum favorito? E videoclipe?
MOLLY: Meu álbum é Under My Skin. Acho que gosto de como ele é sombrio. O clipe é “Complicated” porque é nostálgico e eu amo Evan!

ALBR: O que você acha da era “Avril Lavigne”?

MOLLY: Eu amo porque a amo, mas não é minha favorita. Eu fiquei meio confusa quando a vi com essa atitude durona… Cabeça raspada de um lado, couro, sapato plataforma… E cantando pop junto. Pensei que não combinavam, mas ainda assim gostei. Minha eras favoritas foram “Let Go” e “Under My Skin”.

ALBR: E o que todos os fãs brasileiros querem saber é como foi o Meet & Greet com Avril? Ela estava tímida? Como ela reagiu ao ver que você se parecia tanto com ela na era “Let Go”? O encontro foi como você esperava? Conte-nos o que se lembra daquele dia!
MOLLY: Foi de longe o melhor dia da minha vida! Ela não estava muito tímida e foi muito amigável. Eu entrei chorando e disse “Oi, Avril!” e ela olhou para mim e disse “Belo visual!” e riu. Ela me puxou para um abraço e nós tiramos uma foto juntas que acabou virando viral. Eu dei umas fan arts para ela e uma carta de 8 páginas dizendo porque ela é meu ídolo e etc. Ela me agradeceu e ficou rindo porque achou legal como eu me vestia exatamente como ela quando era adolescente. Eu estava chorando e soluçando tanto que a minha mãe teve que interferir. Ela disse que quando eu era loira, as pessoas costumavam me confundir com Avril e me pediam para tirar foto sempre que eu ia em Toronto. Avril disse “Que fantástico!” e riu de novo. Minha mãe disse que eu era fã há mais de dez anos e ela me agradeceu. Tiramos outra foto com ela, eu disse oi pro Gabe e pro Matt e fomos embora. Eu chorava tanto que minha mãe me perguntou se estava bem.

ALBR: Mais uma coisa, como é a carreira de Avril no Canadá? Aqui no Brasil, ela não é tão famosa mais… Como é aí?
MOLLY: Ela não é tão famosa não… Infelizmente. A maioria das pessoas escuta pop, tipo o que está tocando no rádio, então “Here’s To Never Growing Up” foi um sucesso. Ela tocava o tempo todo no rádio e ainda toca de vez em quando, assim como “Let Me Go”. Eu nunca ouvi “Rock N Roll” no rádio, mas às vezes toca “Give You What You Like”. Geralmente quando ela toca, é “Complicated”, “I’m With You” ou os outros singles antigos.

ALBR: Sobre sua carreira: A Avril te inspirou a cantar?
MOLLY: Eu comecei a cantar com dois ou três anos só porque era divertido e barulhento. Quando eu tinha uns seis anos, eu queria ser uma cantora famosa como ela. Então eu diria que ela me inspirou a querer ser uma cantora profissional.

ALBR: Você quer ser uma estrela do rock ou isso é apenas um hobby?

MOLLY: Eu sempre quis ser cantora, desde que me lembro, e quero mais do que qualquer outra coisa!

ALBR: Nós vimos que você fez paródias de vídeos da Avril e a que mais chamou nossa atenção foi a de “Hello Kitty”. A letra é diferente e você escreveu sozinha, certo? Você realmente pensa aquilo ou estava apenas brincando?
MOLLY: Eu tirei sarro do vídeo de brincadeira mesmo. Algumas pessoas pensam que eu copio muito a Avril porque eu me visto como ela e canto as músicas dela… Daí eu quis fazer o oposto. Eu não queria ofender ninguém, mas algumas coisas ali foram sinceras. Por exemplo, eu digo que se ela cantar rock, não vai vender, por isso canta tanto pop. Se Avril lançasse um álbum como “Under My Skin” hoje, ele fracassaria porque as pessoas hoje em dia gostam de pop. Avril é esperta em se manter atualizada com o que as pessoas querem ouvir, mas eu fiquei chateada porque eu gosto de rock. Eu gosto do novo CD, mas não gosto de Hello Kitty. Eu senti que não era ela ali. Ela é tão talentosa e eu estava esperando mais faixas como “Don’t Tell Me” e “Nobody’s Home” desde que ela está no ponto mais maduro de sua carreira e essas faixas tratam de assunto mais sérios do que festas de pijama…


ALBR: Eu assisti muitos vídeos seus e em um deles você disse que foi a um estúdio gravar faixas. Elas estão prontas para ser lançadas?
MOLLY: Algumas faixas, como a paródia de “Hello Kitty” foram gravadas e mixadas em casa. Mas os covers de “Here’s To Never Growing Up” e “Girlfriend” foram gravadas em um estúdio profissional.

ALBR: Você compõe? E grava? Você deveria compartilhar com o público brasileiro…
MOLLY: Eu escrevo muito. Sempre fui boa em escrever. Então comecei a escrever faixas há alguns anos e melhorei muito nos últimos meses. Eu anoto algumas frases no meu telefone e elas viram canções que eu gosto e que gostaria de gravar um dia… Eu costumava querer ser pop-punk como Avril, mas agora estou mais na linha do metal e hard rock.