DE VOLTA AO PASSADO: “LOSING GRIP”

By  |  Comments

Dos singles lançados por Avril Lavigne para a promoção de seu primeiro álbum de estúdio, Let Go(2002), Losing Grip é a escolha mais controversa. Lançada em 1º de abril de 2003, a canção teve uma performance positiva, não tão explosiva quanto a dos singles anteriores, mas funcionou para expor um outro lado de Avril, a de roqueira com refrões furiosos e vocais mais maduros.

Avril_Lavigne_Losing_Grip_single_cover

A capa do single, Losing Grip, traz Avril com uma atitude mais roqueira.

Quais são os fatos curiosos sobre Losing Grip?

Losing Grip foi escrita por Avril Lavigne e por Clif Magness. Assim sendo, esse foi o primeiro single sem a participação do The Matrix.

  cliff-magness-with-baritoneClif Magness em uma das poucas fotos atualizadas dele.

– Avril descreve a faixa como uma das histórias sinceras do álbum, assim como Unwanted. As duas faixas foram as primeiras a entrar no álbum, Let Go.

– Ela recebeu disco de ouro por vendas.

Losing Grip trouxe novos fãs para Avril, que relacionaram o material com as produções de Alanis Morissette anos antes.

You_Oughta_Know_single

 

You Oughtta Know é uma das faixas mais controversas do mundo da música. Desde 1995, existem questionamentos sobre quem é o namorado de quem Alanis fala na música. As especulações apontam para diversos famosos.

– O video foi dirigido por Liz Friedlander.

LizFriedlander

Liz Friedlander também dirigiu o vídeo de Don’t Tell Me.

– Antes de Avril Lavigne se jogar para os braços da plateia no vídeo, a multidão praticou levantar outras pessoas, de forma que Avril não corresse perigo de cair.

Losing Grip é considerada a décima melhor música da carreira de Avril Lavigne.

– Ela concorreu ao Grammy como “Melhor Performance Vocal de Cantora de Rock”.

– A faixa foi escolhida como o último single do álbum por se aproximar mais do material mais sombrio que viria com o próximo álbum, Under My Skin.

E o que achamos de Losing Grip?

A letra de Losing Grip é o primeiro desabafo real de Avril Lavigne (pelo menos ao que remete aos singles). Complicated fala de pessoas que fingem, no geral. Sk8er Boi conta uma história divertida, mas fictícia. E I’m With You fala sobre a solidão e sobre alguém, que pode ser qualquer pessoa. Em Losing Grip, temos um “eu” e um “você” que existem. Como a própria Avril Lavigne descreve, ela está falando de um ex. Existe um apelo visceral e adolescente na letra “Por que eu deveia me preocupar? Se você não liga e eu não ligo, não vamos a lugar nenhum!” Temos aqui aquele sentimento tão comum adolescente de que todos os amores são eternos e que a melhor maneira de lidar com a dor é através da rebeldia.

Os vocais de Avril em Losing Grip, apesar de corrigidos e alterados em vários momentos, trazem grande parte de sua qualidade vocal original. Como assim? Bem, se você observar bem os versos das músicas, não os refrões, verá que a voz de Avril soa praticamente natural. Ela costumava ter, no início dos anos 2000, um tom meio desleixado, sem esforço, ao falar e cantar e essa faixa apresenta isso claramente. Outro momento em que vemos isso no CD é em Mobile e no refrão de Complicated.

O vídeo é simples e, de certa forma, desaponta. É divertido ver Avril Lavigne dando soco em um cara que tenta se aproximar dela: sim. É interessante vê-la surfando em uma experiência que ela descreve depois como “ruim” (porque alguém apertou os peitos dela): é. Mas o conceito de um cantor cantando para uma plateia é repetitivo. Existem tantos clipes com esse mesmo cenário no mundo da música que chegamos a nos perguntar se mais um era necessário. Talvez o traço mais relevante do vídeo que o associe com a música é o fato de que na letra ela comenta ter sido deixada sozinha do lado de fora, o que basicamente acontece, quando a vemos sozinha procurando por alguém, durante o show.

Por fim, Losing Grip foi escolhido como o quarto single de Let Go por motivos óbvios: primeiramente, ele reforça a versatilidade de Avril dentro do pop rock, puxando-a para o extremo mais roqueiro, uma vez que ela já havia passado pelo pop rock com Complicated, punk pop com Sk8er Boi e balada pop com I’m With You. Em segundo lugar, o single faz um elo entre o material do primeiro álbum e o material do segundo, fazendo uma transição menos abrupta entre Let Go e Under My Skin (2004). Afinal, grande parte do som produzido por Avril para seu segundo álbum é orientado para o rock com menos influências pop. E tão efeito é notável, pois os fãs de Avril praticamente se dividem em aqueles que amam o arco Let Go/Under My Skin e os outros, mais recentes, que se apaixonaram por The Best Damn Thing e a primeira metade de Goodbye Lullaby.

É fato que Losing Grip não obteve tanto sucesso quanto os singles anteriores, mas teve seu lugar no cenário musical, trazendo Avril Lavigne para os holofotes, não por sua atitude descontraída, mas por sua identidade canadense e sua semelhança Alanis Morissette. Afinal, Losing Grip tem uma atitude muito parecida com a de You Oughtta Know.

Muito provavelmente, Under My Skin é o álbum mais aclamado pelos fãs de Avril Lavigne. E uma coisa é verdade: um fã que goste de UMS deve reconhecer a relevância de Losing Grip para a carreira de Avril. Afinal, a vibe da canção é o que se estende para o álbum seguinte.

Mate a saudade aqui:

Professional Genius.