Perfil e Biografia


PERFIL

0137Nome Completo: Avril Ramona Lavigne
Nascimento: 27 de Setembro de 1984
Local Nascimento: Belleville – Ontario, Canadá
Descendência: Canadense/Francesa
Signo: Libra
Cor do cabelo: Loiro
Cor dos olhos: Verdes azulados
Altura: 1,55m alt
Afiliação: Judy Lavigne (mãe) e John Lavigne (pai)
Irmãos: Matt (2 anos mais velho que ela) e uma irmã chamada Michelle (3 anos mais nova)
Lojas favoritas: Kohl’s, Tillys, Pacsun, Hot Topic, Dickies, ou qualquer loja de skatista e rock
Comida favorita: Pizza
Piercings: Já teve um no umbigo e na orelha
Hobbies: Escrever músicas, cantar e fazer compras.
Artistas favoritos: Sum 41, Alanis Morissette, Goo Goo Dolls, D4, System of a Down, Blink 182, Green Day, The Distillers, Coldplay
Se não fosse cantora: Seria uma oficial da polícia
Cores Favoritas: Vermelho, preto, verde e rosa
Ator e Atriz favorito: Tobey Maguire e Sandra Bullock
Animais: Já teve um cachorro schnauzer miniatura chamado “Sam”.
Instrumentos: Violão, guitarra, piano e bateria.


BIOGRAFIA

  Quando Avril Lavigne surgiu no mundo da música aos dezessete anos, ela era conhecida como uma jovem com atitude masculina e estilo pop-punk que se recusava a usar de artifícios sexuais em seus shows, preferindo cativar seu público com sua voz poderosa, melodias animadas e letras com mensagens diretas. Manter-se sincera consigo mesma e colocar a música antes da imagem trouxe resultados bons tanto crítica quanto comercialmente para a garota da pequena cidade de Napanee, em Ontario. Em 2002, Lavigne explodiu com o 6 vezes platina Let Go, seguido do 4 vezes platina Under My Skin em 2004, o platina The Best Damn Thing em 2007, e Goodbye Lullaby em 2011, que vendeu mais de dois milhões de cópias no mundo todo. Em pouco mais de uma década, Lavigne lançou uma série de hits internacionais, viajou pelo mundo em múltiplas turnês com ingressos esgotados, foi nomeada ao Grammy oito vezes, ganhou 8 Juno Awards do Canadá, e vendeu mais de 35 milhões de álbuns e 20 milhões de singles.

  Autodidata, Avril Lavigne toca violão, piano e bateria, e escreve cada uma de suas canções. Lavigne já cantava e se apresentava muito antes de Let Go, de onde saíram os mega hits “Complicated” e “Sk8er Boi”, que venderam mais de 16 milhões de cópias no mundo todo. Seu segundo álbum, Under My Skin, de 2004, atingiu o 1º lugar na Billboard Top 200 logo no primeiro dia, e vendeu mais de 8 milhões de cópias, alavancando-se graças aos singles “Don’t Tell Me” e “My Happy Ending”. Quatro anos depois veio The Best Damn Thing, que trouxe o single número 1, “Girlfriend”, que é o maior sucesso da cantora até o momento. “Girlfriend” foi o single mais vendido na internet em 2007, vendendo mais de 7.3 milhões de cópias em oito línguas. “Here’s To Never Growing Up”, o primeiro single de seu álbum epônimo (lançado em novembro), alcançou o primeiro lugar nas paradas de 22 países e foi um dos Top 10 em 44 países.

  Além disso, Avril Lavigne co-escreveu músicas para outros cantores como Kelly Clarkson (seu mega hit “Breakaway”), assim como faixas para Demi Lovato e Leona Lewis. Suas músicas também acrescentaram às trilhas sonoras de filmes como Eragon, Doce Lar, O Todo Poderoso, Legalmente Loira 2, O Diário da Princesa 2, A Casa das Coelhinhas, e Alice No País Das Maravilhas. Ela também fez aparições como atriz nos filmes Os Sem-Floresta, Nação Fast Food e Justiça A Qualquer Preço). Em 2010, Avril escreveu a faixa “Alice” para o filme de fantasia de Tim Burton, que foi incluída no álbum de compilação Almost Alice. Ela também lançou sua linha de moda e estilo, a campeã de vendas Abbey Dawn, criando peças de roupa da linha “Alice No País das Maravilhas”, que eram vendidas em lojas com conexões com o filme.

  Avril Lavigne tem sido bastante bem-sucedida como empresária em sua Abbey Dawn. Ela lançou uma coleção jovial de roupas e acessórios inspirados em sua vida, música e viagens pelo mundo, assim como três perfumes, Black Star, Forbidden Rose e Wild Rose. Ao longo dos anos, ela criou peças cuja renda foi designada para The Avril Lavigne Foundation, que trabalha em parceria com organizações como a Easter Seals, Erase MS e Make-A-Wish. Até o momento, a Avril Lavigne Foundation arrecadou mais de meio milhão de dólares para ajudar crianças e adolescentes com doenças sérias e deficiências através de iniciativas de conscientização e doações.

  Apesar de compromissada com suas funções filantrópicas e criativas, a música ainda vem em primeiro lugar para Avril Lavigne. Ela acaba de lançar seu quinto álbum, simplesmente chamado “Avril Lavigne”. Para tal, ela trabalhou com novos colaboradores, como Chad Kroeger e David Hodges, com quem ela escreveu oito canções, assim como Martin Johnson, J Kash, Matt Squire e outros, e também experimentou uma variedade de sons, desde os nostálgicos, pop despreocupados “Here’s To Never Growing Up”, “Bitchin’ Summer” e “17”, ao rock incontrito de “Rock N Roll” e de “Bad Girl” (com a participação de Marilyn Manson), o ousado pop com um toque de dubstep “Hello Kitty”, e as baladas épicas tão características suas como “Hush Hush” e “Let Me Go”, que conta com um dueto com Kroeger, da banda Nickelback, com quem se casou em julho de 2013. Apresentados pelo empresário de Lavigne, que imaginou que trabalhariam bem juntos, o casal se apaixonou durante a gravação do álbum.

  “Eu pensei que trabalhar com Chad seria uma boa ideia porque eu pensei que seria uma experiência legal escrever com outro cantor” – diz Lavigne. “Ele sabe como é ter que vender uma canção quando se está diante de uma multidão. Ele é um guitarrista. É uma estrela do rock. Ele passa pelo mesmo que eu. Nós dois somos canadenses. Colocar duas pessoas com estilos tão parecidos juntos faz sentido. Nos encontramos pela primeira vez em um estúdio. Nos conectamos por causa da música. No estúdio éramos Chad, eu e David Hodges. Nós chamávamos de The Tripod. Foi assim que o álbum começou. Eu tinha acabado de chegar de uma turnê mundial e meu trabalho era ir para o estúdio todos os dias com esses caras. Nós usávamos cartolas, fumávamos, pedíamos pizza, e escrevíamos uma música todos os dias, só morrendo de rir… Eu achei o Chad super divertido. E isso foi só crescendo.”

  Com um novo marido, novo álbum, e outra turnê começando em 2014, Lavigne é consciente de seu sucesso, o que atribui ao fato de que é sincera consigo mesma. Quando perguntada sobre o que diria se pudesse voltar no tempo e conversar com sua versão de 17 anos, ela disse: “Eu diria ‘seja você mesma’. Faça o que quer e não deixe ninguém te mudar. Saiba quem você é como artista e onde quer chegar quanto ao estilo e se mantenha firme. Lute por si mesma.”

{ BIOGRAFIA OFICIAL – NÃO REPASSAR O CONTEÚDO }